INFOMAUÁ Mauá
edição 130 - Março de 2022

É necessário reduzir o desperdício de alimentos

A Organização das Nações Unidas (ONU) afirma que 800 milhões de pessoas passam fome no mundo

Os desperdícios também apresentam impactos financeiros, uma vez que geram menores recursos para os produtores e aumentam os preços para os consumidores

O volume global de perdas e desperdício de alimentos estimado pela Organização das Nações Unidas (ONU) para a Alimentação e Agricultura (FAO) corresponde a um terço da produção mundial de alimentos, atingindo valores da ordem de 1,3 bilhões de toneladas por ano, volume que seria suficiente para alimentar 2 bilhões de pessoas. Essas perdas e desperdícios têm implicações severas para a segurança alimentar e emissões de CO2.

Para mitigar o desperdício de alimentos, são necessárias  ações em conjunto entre diversos setores da sociedade, reforça Eliana Paula Ribeiro, Coordenadora do Curso de Engenharia de Alimentos da Mauá

A professora doutora Eliana Paula Ribeiro, coordenadora do curso de Engenharia de Alimentos do Instituto Mauá de Tecnologia (IMT), lembra que a população mundial atinge atualmente cerca de 7,5 bilhões de pessoas e deve atingir 10 bilhões até 2050. Segundo a ONU, 800 milhões de pessoas passam fome no mundo e, até 2050, a produção de alimentos deve crescer em pelo menos 69% para alimentar a população prevista. "Faz parte da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável da ONU a meta 12.3 de até 2030 reduzir pela metade o desperdício de alimentos per capita mundial, nos campos de varejo e do consumidor, e reduzir as perdas de alimentos ao longo das cadeias de produção e abastecimento, incluindo as perdas pós-colheita", diz a especialista.

É importante ressaltar que, por perdas, entende-se a redução da quantidade disponível de alimentos para o consumo humano nas fases de produção, pós-colheita, armazenamento, abastecimento e transporte, enquanto o desperdício é resultante do descarte de alimentos que ainda têm valor comestível. "As perdas e desperdícios, além de reduzir a quantidade de alimentos, apresentam impactos financeiros, uma vez que geram menores recursos para os produtores, aumentam os preços para os consumidores, e resultam em desperdício dos recursos naturais utilizados na produção como água, energia, insumos e trabalho", afirma Eliana.

Em toda a cadeia de produção de alimentos, existem formas de evitar as perdas e os desperdícios, principalmente por meio de investimentos em pesquisa, melhoria de processos e de infraestrutura, educação e conscientização do consumidor. Para erradicar a fome, é necessário que todos os setores da sociedade participem e façam esforços para reduzir as perdas e desperdícios de alimentos. "Neste sentido, vários trabalhos conjuntos envolvendo empresas, governos, instituições de ensino e pesquisa, organizações internacionais, agricultores e sociedade civil estão sendo realizados para acelerar o alcance da meta 12.3. O engajamento e a conscientização do consumidor também são extremamente importantes para reduzir as perdas e os desperdícios", completa.

Instituto Mauá de Tecnologia - Todos os direitos reservados 2022 ©